Coletivo de entidades organiza ato público em defesa da Justiça do Trabalho

Está marcado para o próximo dia 21 de janeiro ato público capitaneado pelo Movimento em Defesa da Justiça Trabalho, do qual o Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal no Estado do Espírito Santo (Sinpojufes) faz parte.

A decisão foi tomada em reunião do movimento coletivo, que congrega entidades como a Associação dos Magistrados do Trabalho da 17ª Região (Amatra XVII), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Associação Espírito-Santense de Advogados Trabalhistas (Aesat), Associação dos Servidores da Justiça do Trabalho no Estado do Espírito Santo (Ajustes), Sindicato dos Advogados no Estado do Espírito Santo (Sindiadvogados), Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas (ABRAT), Ministério Público do Trabalho (MPT), Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), Sindicato dos Servidores da Saúde no Estado do Espírito Santo (Sindsaúde-ES), Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), entre outras.

O Ato Público em Defesa do Direito e da Justiça do Trabalho acontece a partir de 13 horas, com concentração em frente ao Edifício Castello Branco (sede administrativa da Justiça do Trabalho capixaba), seguindo em direção ao Edifício Vitória Park (Fórum Trabalhista), ambos no Centro de Vitória/ES. Outros estados, como São Paulo, também já confirmaram atos paralelos ao capixaba, no dia 21 de janeiro.

Um Ato Público Nacional também já está programado para o dia 5 de fevereiro, em Brasília, promovido pela Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Colégio de Presidentes e Corregedores dos Tribunais Regionais do Trabalho (Coleprecor), Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT) e Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas (ABRAT).

Movimento em Defesa da JT

O Movimento em Defesa da Justiça do Trabalho tem por objetivo combater as diversas formas de ameaça à Justiça do Trabalho, como o esvaziamento orçamentário e de competência, o represamento das causas e diversas outras incertezas. As ações perpassam a estrutura deste relevante ramo do Judiciário, refletindo a defesa do próprio Direito do Trabalho, da democracia e a proteção ao cidadão brasileiro.

Em entrevista recente, o Presidente da República, Jair Bolsonaro, falou sobre a possibilidade de extinção da Justiça do Trabalho e defendeu a “flexibilização” de direitos trabalhistas. O Sinpojufes e diversas outras entidades manifestaram publicamente repúdio à fala presidencial e buscam agora ações de combate aos ataques que a JT tem sofrido.

Compartilhar: